Como Conseguir a Tão Sonhada Vaga do Primeiro Emprego

18 mar

como conseguir uma boa vaga de emprego

Concorrer a uma vaga no mercado de trabalho quando você já é um profissional com experiência já não é uma vantagem e tarefa fácil. No entanto, encarar este processo pela primeira vez, quando ainda não se tem uma bagagem profissional, pode ser ainda mais assustador, e este assunto tem tirado o sono da maioria dos jovens.

Segundo uma pesquisa que analisou mais de 5 mil jovens ibero-americanos para descobrir quais são suas maiores preocupações, o tema emprego tem tirado o sono de 38% deles. Outros temas como educação (23%), temas sociais (14%), corrupção (13%), política (9%) e terrorismo (3%), também foram mencionados pelos entrevistados.

Outra descoberta interessante mostrada pela pesquisa é que esses jovens não acreditam que os governos se importam com os temas mais importantes para eles (empregabilidade e educação) – apenas 10% dos entrevistados acham que seus governos prestam atenção nesses dois assuntos (5% para cada um deles). Quando questionados sobre o que mais valorizam em se tratando de empregabilidade, 40% apontam melhor remuneração e reconhecimento profissional seguidos de flexibilidade de horário e oportunidade de capacitação e/ou aprendizagem (28%) e clima organizacional (13%).

Diante deste cenário, o jovem deve se preparar para enfrentar um mercado de trabalho cada vez mais acirrado e ainda cheio de tabus, como a contratação de profissionais sem experiência.

O primeiro passo para se destacar é valorizar certos pontos no currículo e fazer uma boa apresentação pessoal. Despertar o interesse do recrutador é essencial para sair à frente dos demais em uma seleção de jovens aprendizes, por exemplo. Para compensar a falta de experiência, o jovem deve valorizar seu conhecimento acadêmico e experiências extracurriculares como cursos, idiomas e trabalhos voluntários.

Vamos Montar o Currículo?

Muitas dúvidas giram em torno da estrutura do currículo perfeito. Como destacar seus objetivos, formação acadêmica e aptidões da melhor forma para ‘encher os olhos’ do recrutador?

Segue um manual que vai lhe ajudar no passo a passo para elaborar um bom currículo. Confira!

1 – Apresentação do Currículo

Erros de português são inaceitáveis no currículo, portanto revise todo o documento com calma e se possível peça para outra pessoa revisar também. Escolha uma boa fonte (Arial ou Times New Roman), e tenha em mente que todas as informações devem ocupar um espaço de no máximo duas folhas.

2 – Dados pessoais

O início do currículo deve apresentar o profissional, com nome completo, idade, estado civil, endereço (sem CEP), cidade, região, telefone (celular, residencial ou para recados) e e-mail, mas atenção nessa parte, pois endereços eletrônicos com apelidos e nomes no diminutivo não devem ser colocados no currículo. O e-mail para contato profissional precisa ter somente o nome do candidato.

3 – Objetivo

Neste tópico, os profissionais precisam escrever de forma direta para que a empresa veja qual é a posição de interesse. É frequentemente usado quando o candidato vai enviar o currículo diretamente para o e-mail do recrutador, ou seja, ele já sabe o nome da vaga para qual está se candidatando. Jamais preencha esse campo com: A disposição da empresa. Currículos preenchidos assim são mal vistos pelos recrutadores, que entendem que o candidato aceita qualquer coisa.

4 – Resumo de qualificações

É importante aproveitar esse espaço para colocar informações positivas sobre sua carreira. O objetivo é chamar atenção para que o recrutador leia o currículo até o final. Tente pensar quais habilidades, conhecimentos e experiências você possui e que seriam positivos para a posição e a empresa. A partir dessa resposta, é possível selecionar o que será colocado no resumo.

5 – Formação acadêmica

O candidato deve colocar o último grau de escolaridade que possui, ou seja, quem não tem nível superior deve citar o nível médio, e assim por diante. Profissionais com MBA, pós-graduação ou curso técnico devem mencioná-los. A descrição deve ter o nome da instituição, curso e ano ou previsão de término.

6 – Experiências profissionais

Candidatos sem experiências podem citar eventuais trabalhos em empresas júniores ou centros acadêmicos da faculdade, colocando as atribuições e responsabilidades que tinha.

7 – Cursos complementares

Cursos extracurriculares ou de curta duração e workshops podem ser informados. É importante mencionar o nome da instituição, mês e ano de início e término e carga horária.

8 – Idiomas

O candidato precisa ser honesto e indicar seu real conhecimento do idioma, já que o recrutador poderá testá-lo durante a entrevista. A fluência pode ser categorizada como: básico, intermediário, avançado e fluente.

9 – Outras informações

Neste campo, o candidato você pode informar experiências internacionais e trabalhos voluntários. Atividades feitas fora do horário de trabalho podem ser citadas, desde que tenham relação com o emprego ou destaquem as qualidades do profissional.

10 – O que não colocar

  • Foto (Só deve ser enviada quando empregador solicitar)
  • Número de documentos
  • Título “currículo vitae” ou “currículo”
  • Pronomes pessoais (Ao invés de colocar “eu desenvolvi um projeto” substitua por “desenvolvimento de projeto”)
  • Informações negativas (Profissionais que não possuem algum tipo de conhecimento não devem colocar essa informação. A melhor opção é não informar nada)
  • Nome de pais, marido ou esposa e filhos
  • Referências pessoais (Contatos de pessoas que podem falar sobre o profissional não devem ser indicados)
  • Motivo de saída de empregos anteriores
  • Pretensão salarial
  • Cartas de referência
  • Certificados de cursos realizados
  • Data e assinatura

Deixe uma resposta